• Stella Apostolopoulos

Dor nos pés: Saiba o que é Fascite Plantar e Esporão do Calcâneo


FASCITE PLANTAR E TENDINITE DO AQUILES:

Por volta dos 30 aos 40 anos de idade é comum começarmos a sentir dores nos pés, principalmente no calcanhar e planta do pé (fáscia plantar).


A dor ocorre principalmente quando andamos descalça ou usamos sapatos de solado duro, baixo e reto (assim, mais comum no verão já que andamos mais tempo descalços e de chinelos). O paciente reclama que sente uma dor aguda, em forma de agulhada ou facada, sendo mais intensa ao pisar no chão de manhã, ao acordar.


Mas, afinal o por que isso acontece?


Ao nos locomover, ocorre um distensão natural da fáscia plantar e do tendão de Aquiles, com a função de dar a arrancada, impulsionar o pé ao inciar a marcha e depois de absorver o impacto do pé na fase de aterrizagem da marcha.


No entanto, quando fazemos isso repetidamente, com forças excessivas ou em condições inapropriadas, ocorre uma sobrecarga mecânica deste mecanismo, levando ao estiramento excessivo da fáscia plantar e do tendão de aquiles, provocando um processo inflamatório.


Fascite Plantar nada mais é do que a inflamação da fáscia plantar (membrana que forma o cavo plantar - "planta do pé"). O mesmo com o tendão de Aquiles, uma vez que eles estão anatomicamente "ligados".



PRINCIPAIS CAUSAS:


Pode ser causada por inúmeros fatores. Os mais comuns são:

CALÇADOS INAPROPRIADOS

  • Calçados retos, sem palmilhas de elevação não dão suporte ao arco plantar: chinelos, "rasteirinhas"

  • Quando ficamos muito tempo em pé ou caminharmos descalços ou exercícios físicos com tênis inapropriado


EXCESSO DE PESO:

  • O excesso de peso traz sobrecarga no arco plantar

  • Provoca maior estiramento da fáscia plantar e sua consequente inflamação


FORMATO DOS PÉS:

  • Pés planos ou pés cavos

  • Provoca desequilibrio mecânico estiramento da fáscia plantar


ENCURTAMENTO DO TENDÃO DE AQUILES:

  • Uso contínuo de "saltos altos" leva o encurtamento a longo prazo de todo o "conjunto fáscia plantar - tendão de Aquiles"

  • Pessoas sedentárias ou atletas que não fazem alongamento da panturrilha/pé.


DEGENERAÇÃO DO COXIM GORDUROSO DO CALCÂNEO:

  • Há um tipo de gordura protetora embaixo do calcâneo cuja a função é de diminuir o impacto do calcâneo no solo durante a marcha

  • A partir dos 40 anos, com o envelhecimento, existe uma gradual redução do colágeno, tecido elástico e da água deste coxim gorduroso, diminuindo sua capacidade em diminuir o impacto



ESFORÇO FÍSICO EXCESSIVO:

  • A fáscia plantar é submetida a forças de tração repetitivamente e de intensidade aumentada, levando a processo de degeneração, com microtraumas de repetição, podendo até a levar a microrupturas

  • Esportes de alto impacto, corredores

  • Trabalhadores que permanecem muito tempo em pé: professores, vigias, atendentes, etc


ESPORÃO DO CALCÂNEO

Uma vez entendido o que é a fascite plantar, conseguimos saber o que é o tão conhecido Esporão de Calcâneo. O esporão é a evolução de uma fascite plantar não tratada ao longo dos anos. Pode estar também relacionado à tendinopatia do Aquiles, uma vez que ambos são causados pela mesma origem, a inflamação crônica de uma destas regiões, que acabam a provocar uma calcificação no local onde se adere ao osso (o calcâneo).

Veja a imagem RX: calcificação do calcâneo no local de inserção da fáscia plantar, trazendo uma imagem semelhante a um esporão... por isso o nome ESPORÃO DE CALCÂNEO.


TRATAMENTO

Agoras que já sabemcausasos as da fascite plantar e tendinopatia do Aquiles, fica fácil pensarmos na forma de tratar.


O ideal, é sempre tentar prevenir o surgimento das dores:


PREVENÇÃO:

  • Sempre usar um calçado apropriado para cada atividade que fazemos (tênis, palmilhas, evitar uso solado baixo se andar muito)

  • Evitar o uso de salto alto rotineiramente

  • Realizar alongamento dos membros inferiores, aqui no caso principalmente do tendão de aquiles e panturrilha

  • Manter-se no peso adequado



Uma vez que já estamos apresentando o problema, precisamos inicialmente tirar a dor e depois iniciar a reabilitação e manutenção:


DURANTE AS DORES:

  • Uso de medicamento para dor: antiinflamatórios e analgésicos

  • Massagear manualmente e com "bolinhas" ou garrafas pet com água congelada

  • Uso de palmilhas (de silicone, ou moldadas)

  • Compressas de gelo

  • Alongar a panturrilha / tendão de Aquiles

  • Diminuir temporariamente as atividades físicas que sobrecarreguem o arco plantar (até melhora da dor)

  • Uso de botas ortopédicas em casos de dor excessiva


Caso essas medidas iniciais não forem suficientes para a recuperação, deve-se procurar sempre um médico para avaliação e iniciar um tratamento fisioterápico mais eficaz, já com auxílio do Fisioterapeuta e/ ou Acupunturista. Pode se usar associadamente Terapias de ondas de choque em casos de dores refratárias ao tratamento.



A infiltração com corticóides pode levar a uma melhora temporária da dor, mas existe um risco de causar degeneração do coxim gorduroso e da fáscia plantar, devendo dessa forma, ser evitada.

O tratamento cirúrgico com fasciotomia (liberação cirúrgica da fáscia plantar) é a exceção, e só tem indicação após meses de falha de tratamento clínico eficiente.

222 visualizações1 comentário

The Square Open Mall,

 sala 11 Bloco F

(Granja Viana)
Cotia, SP 06709-900

grandoctor@grandoctorgv.com

© 2020 GranDoctor

Tel: (11) 2391-8818

          (11) 97182-9897